O Município de Centralina está localizado na região fisiográfica do Triângulo Mineiro, fazendo parte da micro-região de Uberlândia (MG). Tem uma área de 3.541km², distribuída por um único distrito: o da sede. Tem uma população estimada em 10.266 habitantes, de acordo com o Censo do ano de 2010. Faz limites com os municípios mineiros de Canápolis, Monte Alegre de Minas e Araporã e com o Estado de Goiás, com o município de Itumbiara, do qual dista 20 km, todos através de estradas pavimentadas. Pertence à Comarca de Canápolis e à Diocese de Ituiutaba (MG). A sede urbana está localizada à máxima de 510m de altitude. À margem da rodovia BR153, o município dista 90 km de Ituiutaba, 128 km de Uberlândia, 234 km de Uberaba, 24 km de Canápolis, 58 km de Monte Alegre de Minas, 40 km da BR-365 e 20 km com a Divisa de MG/GO. Dista dos principais centros: 663 km de Belo Horizonte, 725 km de São Paulo, 450 km de Brasília, 1.160 km de Rio de Janeiro.

É um município considerado de clima tropical, e está localizado no vale do Rio Paranaíba, tendo sua temperatura variada entre 18ºC a 38ºC, com uma média de 28ºC. É, portanto, um clima quente e úmido, do tipo AW, segundo a classificação de Köppen. A terra roxa estruturada, desenvolvida sobre o basalto, apresenta uma textura argilosa e foi recoberta pela floresta tropical caducifólia. A vegetação predominante é de solo cultura, apresentando árvores bem desenvolvidas de porte ereto, pastagem natural e culturas anuais.

A atividade predominante do município é, sem dúvida, a agricultura que toma praticamente 60% da sua área total; seguida da pecuária também bastante difundida. O Município conta ainda com Indústria de Madeira, Indústria de Produtos Alimentícios, Algodoeiras, Cerâmica e Comércio Varejista, além de bares, boutiques e armarinhos em geral. O município de Centralina desponta no Triângulo Mineiro como um dos principais pólos agrícolas, por apresentar boa infra-estrutura de produção, terras férteis, produtores com espírito empreendedor e lavouras com alto índice de mecanização. Centralina é eminentemente agrícola, considerando a fertilidade de seu solo que por tradição condiciona historicamente o homem à prática do cultivo, aprimorando esta atividade pelas condições climáticas e o retorno financeiro garantido, revelando-se como fonte maior que sustenta sua economia. O Município comercializa sua produção com os mercados de Itumbiara, Uberlândia e São Paulo, no que tange aos produtos agrícolas e, para os insumos, o mercado gira em torno de Centralina, Uberlândia, São Paulo e Itumbiara.